Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Apoio às empresas Carteira de crédito comercial aumenta 46,3% na região Centro Norte


Quando tomado no momento e na quantidade certa, empréstimo é um importante aliado dos empreendedores para o crescimento dos negócios

Para abrir o negócio, comprar insumos, pagar despesas fixas, impostos e os funcionários, reformar ou ampliar as instalações, o empresário precisa de dinheiro. O problema é que nem sempre possui recursos próprios para isso. É quando recorre às instituições financeiras para tomar crédito e assim dar fôlego ao caixa da empresa e cumprir prazos de entrega de produtos ou serviços. Prova de que o Sicredi é parceiro dos empreendedores é que a carteira de crédito comercial para pessoas jurídicas na região Centro Norte - que abrange os estados de Mato Grosso, Rondônia, Pará e Acre – atingiu R$ 1,493 bilhão em agosto, expansão de 46,3% em relação ao montante registrado em igual mês de 2017, quando somou R$ 1,020 bilhão.

Investimento, capital de giro e antecipação de recebíveis estão entre as linhas de crédito mais acessadas pelos empresários. Dependendo do momento vivenciado pela empresa, cada uma delas é contratada com o objetivo de auxiliar o andamento e crescimento dos negócios, sendo que há casos em que o empresário contrata mais de uma linha, sempre respeitando sua capacidade de pagamento. A consultora de Negócios Pessoa Jurídica da Central Sicredi Centro Norte, Kely Freitas, afirma que a instituição financeira cooperativa atende empresários de diferentes portes, desde o microempreendedor individual, passando pelo pequeno e médio empresários até o grande.

Atende diferentes públicos de empresas, independentemente do faturamento ou ramo de atividade. Nas agências, os associados têm atendimento personalizado, conforme sua necessidade, seja para investir, para capital de giro ou antecipar o recebimento de suas vendas. “Às vezes o empresário tem dinheiro para montar a loja e para pagar os funcionários, mas não tem recursos para comprar novas mercadorias, justamente por causa do descasamento entre as datas da compra e de pagamento do fornecedor e as datas venda e de recebimento das vendas feitas aos clientes. Neste caso, o Sicredi pode ajudar com linhas de crédito para capital de giro e ajudar a fazer o negócio andar”, ressalta Kely.

Ela observa que, se o perfil da empresa é outro, com o negócio já consolidado e com projeto de expansão, o empresário tem à disposição crédito para compra de máquinas e equipamentos, ou mesmo para ampliar a estrutura física do empreendimento, o que dará uma nova roupagem ao negócio, e favorecerá o crescimento do associado e da comunidade, uma vez que esse estabelecimento tende a movimentar outros segmentos e gerar novos empregos na região.

É justamente este momento que o empresário de Rio Branco-AC, Raul Orasmo Fernandes Júnior, 45, vivencia no mundo dos negócios, no qual está mergulhado há 36 anos, desde que os pais abriram a Sorveteria e Pizzaria Pinguino. Há 13 anos à frente dos negócios da família, ele que é empreendedor nato abriu outra empresa, a Pinguino Delivery, há um ano e meio. No estabelecimento, além de o consumidor receber a pizza em casa ele tem a opção de retirar no balcão, da forma que mais seja conveniente.

Com essa experiência bem sucedida, o empresário não se cansou. Pesquisou, planejou e vai tirar do papel um novo projeto. Emprestou R$ 100 mil do Sicredi para complementar os recursos próprios e em três meses vai inaugurar uma nova pizzaria e sorveteria na cidade, a Italian Maker, com um conceito inovador, inspirado em estabelecimentos dos Estados Unidos. “Abri a conta no Sicredi há três meses e nesse pouco tempo já consegui crédito. Iniciamos as obras e estamos comprando os equipamentos. A confiança da instituição financeira nos associados é fundamental. Será um novo conceito de pizzaria e sorveteria, em que os clientes vão montar seus próprios sorvetes e pizzas, conforme o gosto pessoal. Não tem nada parecido com isso aqui em Rio Branco e estamos muito animados com a novidade”.

Os sorvetes e as pizzas são fabricados pela empresa matriz. Segundo o empresário, o empreendimento terá um formato mais enxuto, com capacidade para atender 80 pessoas. Inicialmente serão gerados seis postos de trabalho, sendo que no período de seis meses a um ano após a inauguração a previsão é que o número de funcionários dobre. E Raul pensa ainda alto. Trabalha na padronização de processos, da estrutura e da identificação da unidade para transformar a Italian Maker em franquia. “Espero abrir outras unidades no mesmo formato na cidade, outros municípios e estados”.

Quem também buscou crédito no Sicredi foi o empresário do setor supermercadista Adalto Pereira Flor, 37, de Acrelândia-AC. Dono do supermercado Central há dois anos, ele foi um dos primeiros associados quando a instituição financeira cooperativa chegou à cidade, há 16 meses. “Precisei de capital de giro para comprar alguns produtos de venda mais rápida como itens da cesta básica – alimentos, higiene e limpeza – e tive muito êxito. Como paguei à vista, tive desconto e o custo foi menor, economizei”, diz o empresário, que pretende quitar o empréstimo em um curto período para poder fazer novas contratações.

“Precisamos de uma instituição financeira parceira e eficiente, e encontramos isso no Sicredi”, avalia. O supermercado Central tem 17 funcionários e é considerado de médio porte. Ao projetar o crescimento nas vendas, o empresário planeja abrir, no futuro, uma filial e contribuir com a geração de mais empregos e renda na cidade.

É justamente o efeito sobre a comunidade que o presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof, destaca ao se referir à parceria entre a instituição financeira cooperativa e os empresários. Ele reforça que o Sicredi está sempre ao lado dos empreendedores, sejam eles pequenos, médios ou grandes, sendo referência principalmente naquelas localidades mais distantes das grandes cidades, onde é a única a oferecer produtos e serviços financeiros na comunidade. “A nossa presença nesses locais reforça o compromisso que o Sicredi tem com o desenvolvimento local, em fortalecer os negócios e oferecer crédito com taxas mais competitivas em relação ao mercado financeiro tradicional. Com isso, as empresas dos nossos associados crescem, geram mais emprego e renda, e beneficia toda a comunidade”.

Vilão ou aliado?

O crédito contratado em uma instituição financeira é um importante aliado do empresário. Diferentemente do que muitos imaginam, o empréstimo não é um vilão e sim uma oportunidade para o crescimento do negócio. A afirmação é do analista técnico responsável pelo Núcleo de Orientação ao Crédito do Sebrae MT, Fábio Apolinário, ao comentar que esse conceito deve ser interpretado de forma diferente em cada fase da vida da empresa.

Ele explica que para o potencial empresário, por exemplo, aquele que ainda vai abrir o negócio, o relacionamento com o banco será diferente da relação mantida entre uma empresa consolidada no mercado. “É importante que o empresário escolha uma instituição financeira para ser sua parceria no negócio. Não buscá-la apenas quando precisa. E nós do Sebrae indicamos que ele avalie todas as opções existentes no mercado, seja pública, privada ou uma cooperativa de crédito, e depois escolha a que se encaixa melhor ao seu perfil. O relacionamento e a movimentação financeira devem ser iniciados antes de a empresa precisar do crédito”, aconselha.

Apolinário orienta ainda que, antes de buscar o recurso, é importante que o empresário olhe para dentro da empresa e analise a gestão para verificar se realmente precisa de crédito ou se é necessário melhorar a administração. O objetivo é evitar o endividamento desnecessário e o comprometimento de uma fatia da receita que poderia ser destinada a outras finalidades. “O crédito bancário é igual remédio. Se tomar pouco não sara a doença e se tomar muito pode levar à morte”, compara.
Renan GomidesAssistente de Comunicação e Marketing
Comunicação Institucional
Assessoria de Comunicação e Marketing