Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

No Acre, 10 municípios não atingem meta vacinal contra a pólio e sarampo e campanha é prorrogada

Dez municípios do Acre não atingiram a meta de cobertura vacinal de 95% contra a poliomelite e o sarampo. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (3) pela gerência de Imunização do Acre.
Em todo o Brasil, somente 88% das crianças receberam as doses da vacina e o Ministério da Saúde decidiu prorrogar a campanha até o dia 14 de setembro.
Ao G1, a gerente de Imunização do Acre, Dora Holanda, disse que 10.597 crianças ainda não foram imunizadas no estado. Desse total, 7.145 são de Rio Branco. A cobertura vacinal no estado é de mais de 83%.
“Gostaríamos de pedir aos pais que por favor levem os filhos às unidades de saúde nesse período de prorrogação. É muito importante, pois os casos confirmados de sarampo em Rio Branco são preocupantes. Pedimos que os pais tenham consciência de que a vacina é o único modo de imunização”, destaca.
Além da capital acreana, os municípios que não atingiram a meta de 95% do público-alvo foram Acrelândia (94,68%), Senador Guiomard (90,4%), Bujari (88,38%), Manoel Urbano (84,8%), Xapuri (80,87%), Capixaba (79,38%), Feijó (74,63%), Rodrigues Alves (74,35%) e Sena Madureira (69,98%).
Dora falou sobre a falta de procura da vacina e acredita que a situação melhore após o decreto para que a atualização das carteiras de vacina passe a ser cobradas pelas escolas de educação infantil e da primeira etapa do ensino fundamental no Acre.
O decreto assinado foi assinado pelo governador do Acre, Tião Viana, e obriga os pais a apresentarem a carteira de vacinação ao matricularem as crianças.
“Esperamos que essa obrigação aumente a procura nos postos. As pessoas precisam entender a importância da campanha para evitar novos casos de sarampo e pólio no nosso estado”, ressalta.

Casos de sarampo no Acre

Vinte e três casos suspeitos de sarampo estão sob investigação no estado do Acre, de acordo boletim informativo divulgado no dia 28 de agosto pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). Outros seis casos foram confirmados e nove descartados.
A Saúde destacou que 36 casos suspeitos foram notificados e que os quatro casos foram confirmados pelo Laboratório Central (Lacen), mas que aguardam resultado da Fiocruz - que é o laboratório de referência no país – conforme determinam os protocolos do Ministério da Saúde.
Entre os casos confirmados, um é em Capixaba e três na capital acreana Rio Branco. Conforme os dados, entre os casos confirmados da doença, dois são em mulheres e dois em homens.