Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

MP Eleitoral protocola representação por suposto ato de improbidade administrativa cometido por secretária de Sebastião

O Ministério Público Eleitoral (MPE) informou no início da tarde desta terça-feira (25) que vai apurar possível ato de improbidade administrativa e que encaminhou para a Procuradoria Regional Eleitoral, representação com denúncia de abuso de poder político no evento que reuniu gestores petistas e servidores no Resort Hotel, quando a secretária de Gestão Administrativa, Sawana Carvalho, teria incentivado servidores que apoiam o candidato ao governo do Acre, Marcus Viana (PT) a descumprir a proibição de estacionar veículos com propaganda partidária em estacionamentos de órgãos públicos da administração estadual.
A informação é da promotora eleitoral Alessandra Marques. Ela protocolou a representação por suposto ato de improbidade administrativa cometido pela secretária Sawana Carvalho, além de formalizar um pedido de instauração de um inquérito para investigar possível abuso de poder político por parte dos gestores que integram o primeiro escalão da administração do governador Sebastião Viana, do PT. Segundo a promotora eleitoral, há indícios de possíveis crimes eleitorais no áudio que vazou de uma reunião com a cúpula de coordenadores da campanha do candidato ao governo do Acre, Marcus Alexandre Viana (PT).
No áudio que vazou e circula em grupos de Whatsapp, a secretária de Gestão Administrativa, Sawana Carvalho, estaria incentivando servidores que apoiam a candidatura majoritária petista a descumprir a proibição de estacionar veículos com propaganda partidária em estacionamentos de órgãos públicos. A prática é considerada crime eleitoral e pode resultar em punição para o condutor e para o candidato, mas Sawana Carvalho também se coloca à disposição para defender o servidor quem infringir a Lei 9504, artigo 37 que proíbe a veiculação de propaganda eleitoral em bens públicos e bens de uso comum.
Sawana Carvalho também faz duras críticas a Gladson Cameli (Progressistas), candidato ao governo do Acre pela oposição. Numa possível tentativa de desqualificar o oposicionista, a gestora cita um debate entre os candidatos que disputam o governo do Acre com empresários acreanos. “Não podemos entregar 20 anos de projeto nas mãos de irresponsáveis. Ele (Gladson Cameli) não sabe nem o que é um processo de licitação. Ele dúvida dos dados do IBGE. Acho que ele nem sabe onde fica o IBGE”. O áudio pode ter sido gravado por um dos participantes da reunião que provavelmente ocupa cargo de confiança na estrutura da máquina estadual que é gerida pelo Partido dos Trabalhadores.
Por