Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Sesp admite que omitiu informações sobre furto de armas e que Policial abriu janela para roubo em delegacia



“Ele destravou a janela e trancou a porta para que os ladrões entrassem na sala e roubassem as armas”. Com esta declaração o delegado Karlesso Nespoli, titular da Delegacia de Brasileia, explicou a participação do policial Maicon César, apontado como facilitador da ação criminosa.
Durante coletiva de imprensa na manhã desta segunda feira(18), a cupula da Segurança Pública falou pela primeira vez sobre o episodio, ocorrido na semana passada na cidade da fronteira, de onde foram roubadas varias armas que estavam na Delegacia.
O arsenal foi encontrado por investigadores na tarde do último sábado, enterrados próximo a um hotel alugado pelo policial criminoso.
Nespoli disse ainda que as investigaçoes apontam para a participaçao ativa de Maicon César, que seria ouvido pelo delegado ainda no sábado, mas se recusou a prestar depoimento depois que as armas foram encontradas.
“Temos todos os indicios da participaçao dele no crime. Eu iria ouvi-lo no sabado, mas ele se recusou sob a alegaçao de que iria conversar com seu advogado. Desde então não sabemos o paradeiro dele”, disse Nespoli.
Tambem no sábado, do lado boliviano, ladrões roubaram um outro arsenal de um quartel da Marinha Boliviana. O roubo mobilizou todas as forças de segurança do pais vizinho, que adotou revista pessoal e blitz em Cobija, ações que raramente aconteciam.
Do lado brasileiro nao houve nenhuma mobilização. A fronteira continuou desguarnecida e nenhuma operação foi registrada. O sub-secretário de Segurança, Josemar Pontes, porém, disse que a policia incrementou ações na região, embora ninguém tenha visto.

Advogado diz que Maicon não o procurou

O advogado Sanderson Moura, que atua na defesa do policial civil Maicon Cesar no processo em que ele foi condenado a 7 anos de prisão por sequestro e carcere privado, disse que seu cliente não o procurou.
Moura falou que sequer sabia do roubo das armas tampouco do suposto envolvimento de Maicon no caso. ” Ele não me procurou. Estou sabendo desses fatos agora por você. Até porque eu atuo na defesa dele no processo do sequestro, neste novo caso não.”, disse o jurista.