Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Que tiro foi esse! Boca-boca e confusão marcaram reunião entre prefeitura e professores de Acrelândia

Por Adriano Mendes- Acrelândia News

 A reunião aconteceu no auditório do Ministério Público na tarde desta segunda-feira e contou com a participação dos professores da rede municipal de ensino e profissionais da saúde e obras, além dos vereadores.

A reunião teve por objetivo apresentar a versão da prefeitura sobre a situação financeira do município e os problemas enfrentados pela gestão. Segundo o prefeito Caetano mesmo com os recursos da educação e saúde, as pastas continuam com um grande déficit, o que está acarretando prejuízos ao andamento da máquina pública.

Segundo o professor Nilson o relatório apresentado pela gestão, não condiz com a verdade, Para Nilson, existe gastos e pagamentos que não faz parte da pasta da educação, mesmo assim a gestão continua usando o dinheiro da educação para outros fins.

A presidente do Sinteac promete realizar reuniões com a categoria para decidir o que fazer, para o sindicato, o prefeito tenta desqualificar a educação, “a gestão erra e agora querem que nós demos um jeito” disse o professor Ribamar, afirmando que irá entrar na justiça contra a prefeitura para que os direitos sejam garantidos por lei.

O secretário de Educação professor Donizete de Mello, alegou que a partir desta semana, nenhum funcionário com contrato provisório irá mais trabalhar, o que poderá interromper o funcionamento das escolas, já que merendeiras, zeladeiras e cuidadoras estão com contratos provisórios, até mesmos professores podem parar de trabalhar.

Segundo o Professor Ricardo, os repasses federais nunca tiveram reduções, como afirmou a gestão e que tudo não passa de uma ação orquestrada da gestão no intuito de tentar pressionar os professores a fazer greve, mas isso não vai acontecer, afirmou.

Segundo Tiririca presidente da câmara de vereadores, a irresponsabilidade da gestão, não pode fazer com que os alunos sejam prejudicados, o prefeito tem que arrumar uma alternativa e não penalizar os trabalhadores que não tem nada haver com os erros cometidos.

Sempre colocando a culpa nas gestões anteriores dos problemas do município, o prefeito Caetano expõe seus relatórios, mas foi amplamente criticado pela categoria. O professor Nilson, sugeriu que o prefeito renuncie o mandato, já que ele não está conseguindo gerir os recursos da educação, neste momento o prefeito ficou irritado e houve um bate-boca.

Segundo a gestão, é preciso cortar gastos para equilibrar as contas, e algumas medidas serão tomadas, como reduzir os salários dos professores e demitir funcionários provisórios e outros.

A vereadora Rosa afirmou que na sessão da próxima segunda-feira, irá propor um pedido de auditória na educação e saúde e até mesmo um pedido de abertura de CPI, já que, na reunião os professores informaram que a gestão gastou dinheiro do FUNDEB em uma escola que não existe no município, (Escola Francisco Pereira de souza) segundo Rosa, isso já é passivo de abertura de uma CPI para investigar o caso.

Na audiência os professores pediram explicações ao secretário de Educação, sobre gastos de recursos em uma escola que nunca existiu no município, o secretário disse que se ocorreu, foi um erro do tribunal de contas do estado e não da secretaria.

Foi marcada uma reunião entre a categoria de educação e da saúde para próxima quinta-feira no Sinteac. Segundo O professor Ribamar, já que a prefeitura paga três advogados agora terá que contratar mais um, pois a categoria irá se manifestar e provar que a gestão está equivocada com seus relatórios e iram provar os erros na folha de pagamento.

Durante toda a tarde houve muito bate-boca e desentendimento entre professores e gestão. Ao sair, o prefeito Caetano foi vaiado pelos presentes. Na saída assessores do prefeito começaram a discutir com o presidente Tiririca e servidores da educação e saúde.
 Confira o vídeo.