Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Quatro policiais do Amazonas e um do Acre são presos suspeitos de agirem como jagunços em seringal


Em uma operação na noite desta quarta-feira, 16, graças a intervenção do procurador de Justiça Sammy Barbosa, do Ministério Público Estadual, agentes da Polícia Civil do Acre prederam, no seringal Novo Andirá, em Porto Acre, na divisa com o Amazonas, oito pessoas, entre elas quatro PMs do Estado vizinho e um do Acre que agiam como pistoleiros e jagunços ameaçando, desde as primeiras horas de ontem, as famílias posseiras no local. Com eles foram apreendidos pelo menos 20 armas, entre facas, espingardas e pistolas.
A área, que pertence à União, foi invadida por 24 famílias. Ocorre que um médico e empresário, que possui terras no local, alegava ser dono da área e teria contratado os pistoleiros para expulsar os posseiros.
A serviço do empresário, eles chegaram ao local amedrontando e invadindo as casas das famílias, informou um dos representantes do movimento dos trabalhadores posseiros, que pede para não ser identificado. Ele diz que foi ameaçado de morte. Entre os presos estariam três policiais do Estado do Amazonas.
“Tomaram a casa de uma família. Ainda bem que não ofereceram resistência. Quando a polícia chegou, eles estavam dentro de casa e só se abaixaram, a pedido dos agentes, e já foram presos”, diz um dos representantes da comunidade.
O caso foi levado à Justiça. Entidades que lidam com direitos humanos também estão intercendo pelas famílias.
A ação
Foram apreendidos ainda, rádios comunicadores, munições, cartuchos carregados e o fardamento de um dos militares. As instituições dos policiais envolvidos foram comunicadas e após ser lavrado o flagrante estão sobre a custódia do estado.
A Policia Civil agora deve continuar com as investigações para individualizar a participação de todos e ainda identificar o fazendeiro que também responderá pelos crimes. Por Ac24horas