Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

PMs acusados de matar jovem espancado durante perseguição vão a júri popular

Os quatro policiais militares acusados de matar o técnico em radiologia Magdiel Wellington Chaves, de 24 anos, vão a júri popular. O julgamento está marcado para a manhã desta quinta-feira (24) na Vara Criminal da Comarca de Capixaba, no interior do Acre. A informação foi confirmada pela mãe da vítima, a autônoma Jacira Chaves Victuri.
Chaves morreu no dia 23 de abril de 2014 após uma perseguição policial em Capixaba. A família afirma que o técnico em radiologia foi espancado dentro de casa no bairro Quixadá Amorim, onde a família morava.
O homem, segundo a família, bebia com um vizinho em frente à casa onde moravam. A vítima saiu para consertar a bateria do carro e acabou sendo perseguido pela polícia, segundo a família, porque estava dirigindo o veículo com habilitação vencida. O homem chegou a ser encaminhado para o hospital, mas não resistiu. A família disse ao G1, em abril de 2014, que os laudos da morte apontaram agressões físicas.
“Eu, desde o início, quando soube que meu filho não voltava mais, entreguei nas mãos de Deus. Então, seja feita a vontade de Deus. Deus faça justiça”, disse Jacira ao G1.
Os policiais acusados foram presos preventivamente em junho de 2014 e tiveram uma habeas corpus negado pela Justiça do Acre. Porém, atualmente estão soltos e vivendo normalmente, segundo a mãe da vítima.
A família também acusa os PMs de omissão de socorro e relatou que após a ação os policiais colocaram Chaves na carroceria da viatura somente quando os moradores começaram e filmar a cena.
Por