Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Plenárias com a sociedade discutirão plano de governo da pré-candidatura de Gladson

Os partidos que apoiam a pré-candidatura do senador Gladson Cameli (Progressistas) ao governo do Acre nas eleições de 2018 pretendem realizar nos meses de junho e julho, plenárias em todo o estado para debater e finalizar em conjunto com a sociedade, as sugestões ao Plano de Governo que vêm sendo discutidas com vários setores da sociedade acreana.
Nesta sexta-feira (25) técnicos e profissionais de várias áreas, entidades representativas, acadêmicos e especialistas em setores estratégicos entregaram ao professor e doutor em economia, Carlito Cavalcante – coordenador dos trabalhos – a proposta inicial que será apresentada à sociedade como projeto alternativo.
“O ciclo de plenárias é uma determinação do pré-candidato Gladson Cameli e irá promover diversas ações para discutir o futuro do nosso estado e fundamentar as diretrizes do Plano. Contamos com a colaboração de mais de 60 profissionais de diversos segmentos e instituições que ajudaram a elaborar a proposta inicial”, disse Cavalcante.
Para o senador Gladson Cameli, o processo construtivo de um estado que objetiva o desenvolvimento requer a contribuição de todos. Ele afirmou que vai formatar seu plano de gestão ouvindo todos, desde Assis Brasil, no Alto Acre a Mâncio Lima no ponto extremo oeste do território brasileiro – região mais ocidental do país.
“O especialista, o professor, a empregada doméstica, o agricultor, o seringueiro, o estudante, acadêmico, enfim, em todas as áreas existe uma esperança de mudança. Cada cidadão tem uma proposta para tornar o Acre mais eficiente. Ouvi-los aumenta a nossa responsabilidade e nosso compromisso”, acrescentou Cameli.
O pré-candidato a vice-governador, Major Rocha, destacou a questão da segurança pública. Conhecedor da área de segurança, Rocha disse que a proposta é debater o principal problema da sociedade, ouvindo o cidadão, analisando o que leva as pessoas a cometerem delitos.
“É preciso estudar os meios. A criminalidade é o “fim”. A educação é o início de uma grande caminhada rumo à paz. Não se resolver esse problema a curto prazo. Uma sociedade mais educada, mais amiga das polícias, será capaz de devolver o brilho nos olhos de nossa juventude”, acrescentou o Major.
O documento apresentado ontem tem oito eixos temáticos. Além da colaboração de técnicos da Universidade Federal do Acre e instituições como SUDAM, Federação da Agricultura e Pecuária, Federação do Comércio, Associação Comercial, a proposta conta com a colaboração do Sindicato dos Engenheiros do Estado do Acre, entre outros.
Por