Há mais Nova Clinica UNID-DENT na Vila Evo Morales fronteira com Plácido de Castro

Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

TV Acrelândia News

Publicidade

Mães e pais pretendem realizar um manifesto em frente a prefeitura na próxima segunda-feira e pedem que o conselho tutelar se manifeste em defesa das crianças.

Por Adriano Mendes.

Está dramática a situação envolvendo os professores e pais de alunos contra a gestão do atual prefeito, que por determinação da secretaria municipal de educação, resolveu suspender as aulas de todos as escolas da rede municipal de ensino.

Segundo a secretaria municipal de educação a suspensão das aulas se deu depois que todos os contratos provisórios foram cancelados e não foram renovados, o que culminou com a demissão de dezenas de servidores da educação. Só na escola Infantil Branca de Neves para se ter uma ideia, foram 19 funcionários demitidos. Segundo a gestora, seria impossível a continuação das aulas sem estes profissionais.

Na tarde desta quinta-feira, a direção da escola Rita Bocalom realizou uma reunião com os pais de alunos e professores, foi informado aos pais, que as aulas continuam suspensa por tempo indeterminado por determinação da secretaria de educação.

 Em uma decisão pela maioria dos pais e alguns professores logo após a reunião na escola infantil Branca de Neves, os pais decidiram que na próxima segunda feira, as 6:30 da manhã, irão iniciar uma reivindicação em frente a Prefeitura sem hora para encerrar, até que o Prefeito Caetano tome alguma medida.

Segundo as mães, a gestão está fazendo pouco caso com a situação dos seus filhos ficarem sem ir à escola. Segundo elas, o prefeito e toda sua equipe com os vereadores e direção da escola, devem solucionar o problema para que os direitos das crianças sejam garantidos por Lei.

O grupo denominado “Mães Brilhantes”, foi criado com o objetivo apenas de lutar em prol dos direitos de cada criança.

Na tarde da última quarta-feira, a classe dos professores protocolou uma denúncia no ministério público sobre o caso, eles estão aguardando o parecer do promotor de justiça de Acrelândia Teotônio Rodrigues, mas as mães alegam que as crianças estão com seus direitos lesados e até agora não houve nenhuma manifestação por parte do conselho tutelar da cidade que defende o estatuto da criança e do adolescente.

Segundo Luciana Brito, que faz parte do grupo criado “Mais Brilhante”, na reunião realizado na creche na tarde desta quinta, foi feito o convite para as autoridades inclusive para o conselho Tutelar, porem não compareceram. Segundo as mães, o conselho Tutelar está omisso em relação aos direitos das crianças que estão fora da escola.

Segundo o estatuto da criança e do adolescente no Art. 53. A criança e ao adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho, assegurando-se lhes: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escolar.

São atribuições do Conselho Tutelar: I – atender as crianças e adolescentes nas hipóteses previstas nos arts. 98 e 105, aplicando as medidas previstas no art. 101, I a VII; II – atender e aconselhar os pais ou responsável, aplicando as medidas previstas no art.31 de maio de 2013.
 Fica aberto o espaço para quaisquer esclarecimentos das partes