Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Mães de alunos da escola Rira Bocalom fazem ato enfrente a escola em seguida foram até o Ministério Público.

Por Adriano Mendes 

Um grupo de mães e pais de alunos que estudam na escola Rita Bocalom, fizeram um ato pacífico na manhã desta quarta-feira em frente à escola.Segundo Luciane Brito, o objetivo é chamar atenção das autoridades sobre os fatos que vem ocorrendo na escola para que providências sejam tomadas.

Depois em que um aluno morreu com suspeita de Meningite e denuncias de vereadores sobre as condições logística da escola, muitas mães ficaram apavoradas com a situação e pedem uma explicação por parte da secretaria de saúde e educação. No ato foi organizado um grupo de mães e foram até o ministério público da cidade, na sequência as mães foram até a câmara municipal e se reuniram com os vereadores, foi criado uma comissão de mães e um documento foi protocolado no ministério público.

As mães reclamam que no local a presença de muitos pombos o que podem acarretar em doenças aos alunos principalmente a Meningite que podem ser transmitida pelo Pombo, as mães alegam que a secretaria de saúde até agora não deu nenhuma explicação eficaz a elas e principalmente as vacinas que ainda não estão sendo  disponibilizada para todo o público, só com idades de 11 a 14 anos, as mães temem que seus filhos possam ser contaminado com o vírus da Meningite. Segundo Luciana Brito, o que as mães querem é uma resposta das autoridades e as ações que estão sendo realizada pela secretaria de saúde.

Os vereadores Rozeno-PSD, Marciano Tiririca-PSD, Rosa-PRO e o vereador Ivanir do PSB, participaram do ato e ouviram as mães. Segundo o presidente Marciano Tiririca é louvável a preocupação das mães, Marciano tiririca alega que falta dialogo por parte da secretária Municipal de saúde, já que as mães só querem uma resposta sobre tudo que está ocorrendo, é um direto delas, nós vamos receber estas denúncias na câmara e tomar todas as medidas possível.

As mães afirmaram, caso as autoridades competentes não tomem nenhuma providência principalmente com a questão dos Pombos e a logística da escola, irão proibir os filhos de irem à escola, mas temem que seus filhos podem ser prejudicados no ano letivo.

A secretária Valéria Lima, afirmou que só irá comentar sobre o assunto depois do resultado do laudo pericial no caso do adolescente que veio a óbito com suspeita de meningite, mas uma equipe da secretaria de saúde está na escola vacinado alunos entre 11 a 14 anos a idade estabelecida pelo ministério da saúde.