Concurso

Concurso
Site Acrelândia News, disponibiliza link para inscrição concurso da Câmara municipal e Acrelândia. Os leitores do Site Acrelândia News, podem acessar o site para se inscrever no concurso da Câmara Municipal de Acrelândia, além e ver o edital. Basta o leitor acessar o site e clicar n a imagem do concurso, que já vai ser direcionado para o SITE da FUNDAPE, empresa organizadora do Concurso. Acesse www.acrelandianews.com. Click aqui para fazer sua inscrição

Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

homem diz que decapitou jovem por 'vingança' e pede perdão

A forma fria, o homem acusado de decapitar a jovem Débora Bessa, de 19 anos, contou detalhes do crime na Delegacia de Homicídios de Rio Branco nesta terça-feira (30) . Ele afirmou que matou a jovem por vingança e chegou a perdir perdão à sociedade.

André de Souza Martins, de 28 anos, foi preso no final da tarde de segunda-feira (29) na Estrada de Porto Acre, interior do estado. Ele afirma que a vítima foi morta porque tinha envolvimento no assassinato do irmão dele, em 2013, e não por ordem de facção.

"Não recebi ordens. Foi porque ela matou meu irmão. Em 2013 armou com os irmãos dela e levaram meu irmão, esquartejaram. Não fiz isso com ela [esquartejar], fiz só isso que viram no vídeo", o suspeito de matar Débora durante apresentação nesta terça.
Débora estava desaparecida desde o último dia 9 de janeiro e foi encontrada pela família no sábado (13) em uma região de mata no bairro Caladinho, em Rio Branco. A irmã da vítima, a secretária Sarah Freitas Bessa, de 21 anos, e outros parentes faziam buscas por conta própria e acabaram encontrando o corpo da jovem.

A polícia anunciou, na sexta (26), que utilizava um vídeo da decapitação para identificar os autores do crime. Nas imagens, Débora aparece de joelhos e diz que não fez nada de mal. Mas, um dos homens, que estava com um facão, manda ela olhar para a câmera e fala que ela “estava matando os irmãos” dele.

Como a vítima foi atraída
Martins explicou que soube que Débora tinha se desligado de uma facção rival e a encontrou em um grupo de WhatsApp.

Para atrair a jovem, o suspeito a chamou em uma conversa privada e perguntou se ela precisava de algo. Débora disse que queria drogas e uma arma, então, Martins a convidou para buscar a droga na casa dele, no bairro Caladinho.
A versão do acusado contraria a da irmã de Débora, que garantiu que a jovem ia visitar o filho no dia “Ela disse ‘mano, estou precisando de drogas e arma’. Falei que arma não tinha, mas droga sim. Ajeitei um papel com plástico e mostrei para ela vim buscar. Quando chegou lá, levei para o lugar que era para acontecer. Matei ela por vingança, jamais ia fazer isso por causa de mandado, até porque tenho sete filhos para criar e não ia fazer isso porque alguém mandou. Acabou com minha vida, minha mãe hoje toma remédio controlado porque viu o filho sendo esquartejado", afirmou.

Sobre a participação de outras pessoas no crime, inclusive um menor de 17 anos que se entregou na sexta (26), Martins alegou que convidou os demais envolvidos apenas para filmar, mas o adolescente de 17 anos resolveu também furar a vítima com uma faca. Questionado sobre a forma bárbara como matou Débora, o suspeito disse que está arrependido por causa dos filhos.

“O outro irmão [menor] que se equivocou e furou ela. Foi só eu. Tenho noção do crime que pratiquei. Que vocês me perdoem. O que fiz não é certo, mas ela acabou com minha vida, com a vida da minha mãe e de muitas outras pessoas. Todo mundo sabe que ela não era santa. Era uma mulher, mas muito perigosa. Sei que o que fiz não é certo e quero que Deus me perdoe”, disse.