Há mais Nova Clinica UNID-DENT na Vila Evo Morales fronteira com Plácido de Castro

Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

TV Acrelândia News

Publicidade

Com quase 80 casos de dengue em 2017, Acrelândia tem ações reforçadas após decreto de emergência

A cidade de Acrelândia, no interior do Acre, teve 200 notificações de dengue nas unidades de saúde em 2017. Desse total, 79 casos foram confirmados e 56 ainda aguardam o resultado final. Com isso, a Prefeitura decretou emergência em saúde pública por 180 dias.
A estratégia é intensificar as ações de combate ao Aedes aegypti e impedir o avanço do mosquito durante o período chuvoso.
Para prevenir o risco de uma epidemia por doenças como dengue, zika vírus e febre chikungunya, todas transmitidas pelo Aedes, além do decreto nº 31 publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) na última quinta-feira (11) e que já está em vigor, o Executivo Municipal intensificou as ações nas ruas e residências da cidade.
Valéria Lima, secretária Municipal de Saúde de Acrelândia, diz que a previsão para este ano é de muitas chuvas na região. De acordo com ela, isso é um alerta para não deixar a propagação do mosquito da dengue, zika e chikungunya.
“Isso é algo que nos assusta e sabemos que as chuvas vão se estender por alguns meses. Fazemos de tudo para os casos de dengue não se alastrarem”, afirma.
Entre as ações do município está a visita dos agentes epidemiológicos aos bairros e casas, eles executam um arrastão emergencial na cidade. Durante a visita, os funcionários da Prefeitura conscientizam a população sobre os cuidados para evitar criadouros do Aedes aegypti. Além disso, eles eliminam qualquer recipiente que acumule água nos quintais das casas visitadas.

A secretária de Saúde de Acrelândia pontua ainda que foi feita uma contratação emergencial de agentes epidemiológicos para reforçar as ações. Segundo a Prefeitura de Acrelândia, as ações de limpeza e remoção de objetos que possam acumular água e virar criadouro dentro dos quintais são de responsabilidades dos próprios moradores.