Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

PUBLICADO NO DOE Acre sanciona lei que cria plano de valorização da vida e prevenção do suicídio

    O governador do Acre, Tião Viana (PT-AC), sancionou nesta terça-feira (7) a lei nº 3.300 que cria o Plano Estadual de Valorização da Vida. A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE). O objetivo é identificar sintomas, acompanhar e tratar pessoas que apresentem sintomas de transtorno mental ou psicológico minimizando a evolução dos quadros que podem chegar ao suicídio.
O governador do Acre, Tião Viana (PT-AC), sancionou nesta terça-feira (7) a lei nº 3.300 que cria o Plano Estadual de Valorização da Vida. A lei foi publicada no 
O documento no DOE diz que o plano tem o objetivo de tratar transtornos que podem incluir a depressão, bipolaridade, esquizofrenia, alcoolismo e abuso de drogas.
A Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) deve ficar responsável pelo desenvolvimento do plano junto às secretarias municipais de saúde, instituições acadêmicas, organizações da sociedade civil, órgãos do governo e também instituições não-governamentais.
A Saúde deve promover palestras direcionadas aos profissionais de saúde para identificar possíveis pacientes que se enquadrem nos sintomas, além de campanhas, exposições de cartazes, folders e vídeos. Esse material deve citar eventuais sintomas e alertar para possíveis diagnósticos, aumentando o acesso ao público a informações sobre os aspectos da prevenção do comportamento suicida.
Essas atividades devem ser direcionadas principalmente ao público-alvo do programa que são pessoas mais vulneráveis e promover questões de bem-estar mental, comportamentos suicidas, consequências do estresse e gestão afetiva da crise.
O plano deve criar também um sistema de coleta de dados integrado à Sesacre para identificar e monitorar os possíveis casos para avaliação e cuidado. Em apoio ao plano, a lei também instituiu a campanha “Setembro Amarelo” que deve ser desenvolvido anualmente para ampliar o alcance do plano e sensibilizar a população quanto à valorização da vida e combate a atitudes suicidas.
No decorrer do “Setembro Amarelo” a Saúde deve fazer palestras e seminários que devem priorizar instituições de ensino médio e fundamental em ação conjunta com o poder público municipal. Por Quésia Melo, G1 AC, Rio Branco