Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Rocha ameaça lançar candidatura ao governo ao ser desmentido por Gladson Cameli

Nelson Liano Jr.
A disputa pela indicação do candidato a vice na chapa de Gladson Cameli (PP) pode virar uma “guerra na oposição”. Na tarde desta sexta, 15, o PSDB soltou uma nota para a imprensa, depois de uma reunião com o senador, afirmando que tudo estava resolvido. A indicação da vice seria realmente do PSDB como combinado anteriormente. No mesmo dia, à noite, Gladson desmentiu os tucanos, o quê deixou o deputado federal Major Rocha (PSDB), furioso. Em retaliação à quebra do acordo ele abriu mão da indicação do vice de Gladson e afirmou não descartar o lançamento de uma candidatura ao Governo do PSDB.
O ponto da discórdia foi uma entrevista dada por Gladson, sobre a questão da vice, que vai totalmente contra a nota divulgada pelos tucanos. O senador confirmou que esteve reunido à tarde com a Executiva do PSDB, mas não que tenha batido martelo na questão da vice.
“Eu estive hoje à tarde com a Executiva do PSDB e o deputado Rocha tem sinalizado que quer a união. Naquele momento foram apresentados alguns nomes de candidatos a vice. Ele quer que o partido participe da chapa majoritária e pediu que até novembro definíssemos essa questão. Falei que não tinha problema nenhum, mas não poderia deixar de olhar também para o DEM. Pedi para que o PSDB e o DEM costurassem essa situação. O DEM é importantíssimo nesse processo do ano que vem. E é uma decisão que eles têm que construir. Se cada um deles olhar para o processo de uma alternativa de poder dá certo. Nenhum dos partidos vai perder. O quê é mais importante? Indicar um vice ou ter uma senadora? Os dois têm como ganhar. É só eles entrarem num consenso e não jogar essa responsabilidade sobre mim. Estou fazendo uma composição com mais de 14 partidos e temos que ter muita maturidade pra isso. E não descarto a possibilidade de resolver antes de novembro,” afirmou Cameli.

A versão de Alan Rick

O deputado federal Alan Rick (DEM), contou que o senador do PP também esteve de tarde, no mesmo dia, no DEM. O parlamentar falou sobre a informação dos tucanos da resolução do vice. “Foi uma surpresa para nós essa informação. Tivemos uma reunião hoje com o Gladson e os prefeitos de oposição do interior. Nessa reunião, com todas as letras, Gladson disse que isso não era verdade. Afirmou que não prometeu a vice ao PSDB, que acho justo pleitear. Penso que o DEM tem eu, o Bocalom e outros nomes importantes para apresentar para compor essa chapa. Entendo que houve uma precipitação porque o senador disse que não fechou questão, mas o DEM vai seguir o seu caminho. Nós temos um pré-candidato ao Senado e outro a deputado federal,” destacou Alan.

Rocha: “O PSDB não será empecilho para o Alan ser vice”

O deputado Major Rocha ficou contrariado com o depoimento do senador. Rocha evidentemente não gostou e afirmou: “Eu faço política como uma coisa séria e não como brincadeira. Eu prezo muito a palavra. Não sou de descumprir e o que as pessoas falam pra mim eu tomo como verdade. Fui procurado, em Brasília, pelo senador Gladson que pediu uma reunião com a executiva do PSDB do Acre que ele iria anunciar que o vice seria indicado por nós. Esse nome seria uma deliberação da nossa Executiva. Fizemos a reunião e, para a nossa surpresa, o senador pelo que te falou, desfaz aquilo que tinha dito. Então dessa forma não tem como trabalhar. Eu abri mão de uma candidatura ao Senado e, agora, a minha intenção é que o PSDB desista de indicar a vice. Acho que o DEM pode ficar à vontade para colocar o Alan Rick de vice. O PSDB não vai ser empecilho. Mas vamos reavaliar todo o processo. E vamos decidir qual será a nossa postura. Temos bons quadros para qualquer candidatura. Vamos fazer uma avaliação. Mas me antecipando sou a favor que o PSDB abra mão da candidatura de vice para o DEM, do Alan,” garantiu o tucano.
Indagado se isso pode significar um projeto majoritário com candidatura ao Governo do PSDB, Rocha disse: “Pode. Porque não dá para se tratar política com molecagem. É preciso ter palavra, compromisso. Não pode fazer compromisso com três ou quatro pessoas ao mesmo tempo. Temos que resgatar a seriedade e a palavra que se perdeu. De forma tranquila, nada contra o Gladson e nem o PP, mas o PSDB não trabalha política dessa forma. Vamos reavaliar todo o cenário. Temos outras forças políticas no Estado e queremos entrar num projeto serio que mude a realidade do nosso povo,” desabafou Rocha.