Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Em quase um ano, Delegacia de Homicídio registrou mais de 280 mortes e 116 não foram elucidadas

Um quase um ano, a Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) atendeu mais de 280 assassinatos em Rio Branco. Destes, cerca de 116 ainda não foram elucidados e aguardam envio para o Judiciário. Os dados são de julho do ano passado, quando a DHPP foi instalada dentro da Divisão de Investigação Criminal (DIC), no bairro Cadeia Velha, até o final do mês de junho de 2017.
O coordenador daa DHPP, deledado Rêmulo Diniz, explicou que cerca de 60% dos homicídios foram elucidados, alguns casos encaminhados para a Justiça, e outros aguardam julgamento. Ainda segundo Diniz, os seis primeiros meses do ano registraram 149 mortes em Rio Branco.
“Dos 149 homicídios, 55 já foram remetidos para a Justiça e se tornaram procedimentos. Tenho mais 28 prontos em cima da minha mesa, o que dá 83 casos. Estamos com a autoria determinada [dos 28 casos], mas falta alguma coisa. Temos provas, a autoria, mas o processo ainda não foi concluído. Falta um laudo cadavérico, ouvir alguma testemunha que mora longe, tem a questão do deslocamento das equipes”, argumentou.
O delegado falou ainda sobre os casos de crimes que envolvem menores ou crianças que são encaminhados para a delegacia especializada do caso. Porém, os inquéritos envolvendo os adultos ficam com a DHPP. Diniz explicou como os inquéritos são separados.