Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Deputado Nelson Sales diz que recursos para reforma e ampliação do Hospital João Câncio podem ser devolvidos e culpa governo

Durante a sessão desta quinta-feira (29) o deputado Nelson Sales (PV) comentou a possível devolução de mais de R$ 4 milhões, frutos de emenda do deputado federal Alan Rick (DEM) para reforma e ampliação do Hospital João Câncio Fernandes, em Sena Madureira. O motivo seria meramente ‘politiqueiro’. Conforme a denúncia apresentada por Sales, o governo do Estado não teria interesse em dar andamento ao projeto, isso porque Alan Rick deixou de integrar a Frente Popular do Acre, filiando-se ao Democratas.
“Chegou ao meu conhecimento que a emenda destinada pelo deputado federal Alan Rick, de R$ 4 milhões, que seria para a reforma e ampliação do Hospital de Sena Madureira pode ser devolvida por culpa do governo do Estado, isso porque foi dado um toque: ‘para tudo e não dá prosseguimento’. Isso apenas para não valorizar um deputado de oposição. A partir de hoje eu vou divulgar em Sena Madureira o que o governo do Estado está querendo fazer. Eu estive com o deputado Alan Rick lá com o presidente Temer. Chegou a informação que o governo do Estado mandou parar tudo. Isso é irresponsabilidade. Essa licitação já era para ter sido homologada. A população de Sena vai saber dar o troco. O que tem de valor naquela unidade de saúde é o povo que trabalha lá, porque as condições lá são mínimas. Depois de 20 anos desse governo para poder recuperar aquele hospital, existe a suspeita da devolução desse recurso”, salienta Nelson Sales.
Programas de governo
O parlamentar disse que o governador Tião Viana (PT) tem atuado como prefeito e citou como exemplo os Programas Ruas do Povo e Ramais do Povo, ambos sem sucesso. Ele frisou que o ideal seria o fortalecimento das prefeituras acreanas.
“Ouvindo a fala dos deputados do PT, vou me ater à fala do deputado Lourival quando diz que o governo não é prefeito, mas ele esqueceu que quando o governador Tião Viana lançou o Ruas do Povo, quem se auto intitulou prefeito nesse estado foi ele próprio. Quem inventou o Programa Ramais do Povo foi o governador. Isso é papel de prefeito. São varejos de um plano de governo, do seu governo, que não deram certo. O Ruas do Povo é uma enxurrada de denúncias e o Ramais do Povo nunca saiu da prancheta”, afirmou.
Nelson Sales citou outros projetos governamentais, que na visão dele fracassaram. Entre eles estão a Indústria de Beneficiamento de Madeiras, em Xapuri, e a Fábrica de Borracha, em Sena Madureira. “O governo não é empresário, mas tem a mania de querer ser empresário. Em Xapuri construiu uma indústria de madeira, quando não se tem madeira naquela área, um equívoco, mas foi para beneficiar o PT em Xapuri. Esse era o objetivo. A Usina de Borracha foi construída por um capricho e a usina que entregaram para a Cooperacre já está demitindo funcionários, não por falta de capacidade de gestão da Cooperacre, mas, sim, porque se juntar a produção de borracha inteira do Acre, trabalha-se apenas 40 dias”, enfatiza.
Produção rural
Sales falou sobre a necessidade de investimentos na produção rural. “Esse governo só atende os seus. Lá em Sena tem um trator de esteira que está jogado no pátio da casa de farinha do Polo Elias Moreira. Esse trator está quebrado. Os vereadores estão querendo fazer ‘vaquinha’ para arrumar o trator, porque o governo não resolve e não ajuda, mas até o ano passado ele ajudava porque o prefeito estava do lado dele” acrescenta.
Finalizando, Nelson Sales respondeu ao discurso do deputado Jonas Lima (PT) quando se referiu ao senador Gladson Cameli utilizando o termo “menino”. O parlamentar destacou as ações do senador acreano. “Queria fazer alguns comentários. Foi esse “menino” que teve o maior número de votos neste Estado. Ele teve mais votos que o seu governador Tião Viana. Ele jogou nas costas e deu a cara para bater e trouxe a superintendência do Dnit para o Acre. Ele trouxe o ministro dos Transportes para tratar da liberação de recursos para a nossa BR-364. Trouxe o ministro da Agricultura, trouxe o ministro da Saúde, que vocês não quiseram receber. É esse “menino” que está fazendo ações de governo sem ainda ser governo. A nossa diferença, e aqui eu não defendo o Temer não, tem que sair, é que vocês têm corruptos de estimação. Vocês fazem a defesa de um dos maiores corruptos deste país, quem diz isso é a Justiça. Ele é réu acusado de lavagem de dinheiro no caso OAS. Acusado de comprar o silêncio de Nestor Cerveró. Ele é réu na Operação Zelotes. A gente precisa tirar todos eles. E esse governo estava preparando festa para esse corrupto. O nosso papel aqui é defender o povo. A briga partidária é fruto da democracia. Nós temos só um “menino”, mas está apavorando toda uma estrutura governamental”, ressalta.
José Pinheiro
Agência Aleac