Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Estudantes em Agropecuária de Acrelândia realizam estágio no Idaf

Na manhã desta quarta-feira, 5, seis estudantes da Escola Técnica em Agropecuária Jean Pierre Mingan de Acrelândia, iniciaram  um estágio no Instituto Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf).
Durante duas semanas, os alunos terão a oportunidade de conhecer o trabalho realizado pelo instituto nas defesas animal e vegetal.
A ocasião profissional foi dada aos estudantes que moram na zona rural e que são filhos de produtores familiares.
É o caso de Eliane Rufatto, de 17 anos. Moradora do distrito de Nova Califórnia, ela vive com a família em uma propriedade que tem como principal atividade produtiva a criação de gado. “Essa parte prática para nós é muito importante. Vamos conhecer o trabalho  específico realizado pelo Idaf que temos como referência”, afirma.
O primeiro contato dos estudantes com o trabalho do Instituto foi com as atribuições do Departamento de Defesa e Inspeção Vegetal. Além de conhecer as coordenadorias, os estudantes também irão fazer trabalhos de campo. “É importante que eles conheçam o trabalho prático. Vão participar de reuniões e de fiscalizações aos estabelecimentos que comercializam agrotóxicos”, destaca a servidora do Idaf, Joelma de Assis.
Eliane Rufatto, 17 anos, é uma das estudantes de Acrelândia que participa de estágio de duas semanas no Idaf (Foto: Leônidas Badaró)
Eliane Rufatto, 17 anos, é uma das estudantes de Acrelândia que participa de estágio de duas semanas no Idaf (Foto: Leônidas Badaró)
Na próxima semana, o estágio continua, mas em um outro setor. Os estudantes vão conhecer o trabalho do Departamento de Defesa Animal.
Ronaldo Queiróz, diretor presidente do instituto, falou dessa possibilidade de oferecer aprendizado aos jovens. “São alunos que moram na zona rural. Eles veem o Idaf como uma grande referência na saúde animal e vegetal. Sonham em se tornar agrônomos ou veterinários. Ficamos felizes em poder contribuir para a qualificação da formação no campo”.