Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Polícia Civil desmonta quadrilha e prende dona do “Quiosque da Bruna” e assessora de deputado




complemento da “Operação Êxodo” executado na manhã desta quinta-feira (15) pela Polícia Civil resultou em 63 pessoas presas e 31 mandados de busca e apreensão. Dentre os presos está a proprietária do “Quiosque da Bruna” e Érika Cristina de Oliveira Costa, assessora parlamentar do deputado Major Rocha (PSDB).
A maior parte dos presos tem ligações com a facção “Comando Vermelho” no Acre. O grupo praticava roubos, tráfico, homicídio, associação criminosa, associação ao tráfico e outros ataques contra o patrimônio
Foram presos também Mariceudo Silva do Nascimento, o Ramos Flay, marido de Érika, e considerado o braço do líder do Comando Vermelho, Paulinho Calafate, também preso pela polícia.
Segundo o delegado Alcino Junior, a polícia precisa verificar os padrões e avaliar as ligações do crime com a política, fato considerado como muito perigoso, sendo algo que a Polícia Civil está buscando verificar sobre essas influências. O delegado mostrou preocupação sobre a possibilidade do grupos criminosos tentarem impulsionar candidaturas e subsidiar financeiramente os políticos.
Bruna Fernanda, proprietária do “Quiosque da Bruna”, badalada casa de entretenimento de Rio Branco, foi detida e é acusada de participação na organização criminosa ao lado do esposo, Julio Navarrete, o ‘Peruano’, que também está preso por lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e armas.
O secretário de Segurança, Emylson Farias, destacou que esse é um trabalho contínuo da polícia e prometeu que as ações vão continuar com outras operações. Ele salientou terem sido presas 500 pessoas nos últimos 40 dias.
rocha-fies
Deputado federal Major Rocha /Foto: Reprodução
Rocha exonera assessora e emite nota de esclarecimento
A respeito da denúncia contra Mariceudo Silva do Nascimento e Érika Cristina de Oliveira Souza, presos nesta quinta-feira (15), acusados de ter envolvimento com o Comando Vermelho no Acre, o deputado federal Major Rocha (PSDB-AC), vem de público esclarecer que:
1 – O casal trabalhou na campanha de 2014 para a Coligação ‘Aliança Por Um Acre Melhor’. Sendo que Mariceudo, popularmente conhecido como Ramos Flay, alugou um veículo e sua esposa fazia trabalho de panfletagem;
2 – Em 2016, após um incêndio no bar de propriedade dos acusados, localizado no Novo Mercado Velho, fato amplamente divulgado pela imprensa de Rio Branco, ambos pediram uma ajuda, enquanto se refaziam do prejuízo causado pelo incidente, por isso, foram atendidos com a contratação de Érika Souza como assessora parlamentar (informação disponível na Transparência da Câmara Federal);
3 – Ao tomar conhecimento da denúncia, foi solicitado o imediato afastamento da assessora, até que se esclareçam os fatos;
4 – Quanto ao marido de Érika, o parlamentar desconhecia qualquer tipo de envolvimento dele com atos ilícitos ou criminosos e o tinha como um trabalhador, pois este era beneficiário de um box em mercado público municipal.
5 – Por fim, o deputado federal Major Rocha, policial militar reformado, repele veementemente qualquer intenção de relacioná-lo com ações criminosas.