Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Após ação da PF, sucessor de Tonheiro se recusa a assumir prefeitura do Bujari

Com a prisão do prefeito Tonheiro Ramos, do PT, na segunda fase da Operação Labor, desencadeada ontem (14) pela Policia Federal em três cidades: Bujari, Santa Rosa do Purus e Plácido de Castro, o vereador e presidente da Câmara, Adaildo Santos, era naturalmente o primeiro na linha de sucessão que assumiria a gestão municipal. Assumiria, porque após toda a operação feita pelos agentes federais no município, Adaildo passou mal, foi internado e se recusou a sentar na cadeira de Tonheiro.
A Operação Labor tem como principal objetivo, desarticular uma organização criminosa suspeita de fraudar documentos para ganhar licitações d e forma sorrateira. Tonheiro que estava foragido desde as primeiras horas da manhã, se entregou na sede da Policia Federal no início da noite de ontem onde permanece preso.
Quem assumiu o destino administrativo foi o vice-presidente da Câmara, o vereador Celso da Codorna. Ela confirmou para o ac24horas o acordo feito por Adaildo que “preferiu cuidar de sua campanha e não assumir a prefeitura nesse momento” disse Celso.
Adaildo, segundo informações, já encontra-se em casa tomando medicamentos. Nenhuma brusca mudança foi feita no secretariado do município. Segundo Celso, apenas a Procuradoria Jurídica e a Chefia de Gabinete foram alteradas.
“Não sei quanto tempo eu fico nesta cadeira, portanto, não vou tomar nenhuma decisão precipitada”, acrescentou o prefeito interino.
Celso garantiu que vai manter os serviços essenciais em funcionamento, como aulas e atendimento nos postos de saúde, coleta de lixo e, trabalhar para garantir o pagamento da folha de setembro.
“Vou tomar conhecimento da situação financeira, mas quero garantir que se permanecer no cargo vamos pagar a folha e manter os serviços essenciais” concluiu.
Ironia do destino – Celso da Codorna que estava sem partido, voltou para o PRB. É o vereador que fez da tribuna da Câmara Municipal uma das denúncias mais graves contra o prefeito preso, Tonheiro Ramos, acuando-o com base em uma gravação, de suposto assédio sexual contra Diane Mesquita, caso que ficou conhecido como “a Dama de Vermelho”.
Até hoje, não se sabe que conclusão foi dada à investigação. Uma queixa-crime foi registrada na Delegacia de Policia Civil do município.