Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Secretaria de Segurança contesta dados do Mapa da Violência 2016

A Secretaria Estadual de Segurança (SESP) contestou os números do Mapa da Violência 2016, onde Rio Branco (AC) é apontada sendo a capital que teve a maior variação na taxa de homicídio por arma de fogo entre 2013 e 2014.
O Mapa da Violência 2016 – Homicídios por Armas de Fogo no Brasil foi publicado nesta quinta-feira (26) e os dados sobre Rio Branco foram divulgados ontem no Ac24horas. De acordo com o estudo, a capital rio-branquense em um ano, de 2013 para 2014, teve crescimento de 138,6% de homicídio por arma de fogo para cada 100 mil habitantes. Em uma década, a variação de crescimento foi de 76,2%. Porém, levando em consideração somente 2014, Fortaleza foi a capital com maior taxa de homicídios por armas de fogo, com 81,5 vítimas.
A Sesp informou que, após analisar os dados, o aumento percentual da taxa no período analisado é de 28,2% e não 138,6%, quão cita o estudo. Ao constatar o equivoco do Mapa da Violência 2016, a Sesp notificou a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso/Brasil), instituição responsável pelo estudo, sugerindo que provenha a devida correção e justificação.
Publicado pela primeira vez em 2005, o levantamento foi coordenado pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, diretor de pesquisa da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais. Os dados atuais são de 2004 a 2014.
Por fim, a Sesp esclarece, que, em 2014, Rio Branco foi a Capital brasileira com a 7ª menor taxa de homicídios praticados por arma de fogo para cada grupo de 100 mil habitantes.