Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Sofrendo com hemorragia há dois anos, mulher desiste de esperar pela saúde do Acre e faz cirurgia na Bolivia

A paciente do SUS no Acre, Maria das Graças Maia [Gracinha Gomes, como é conhecida], de 40 anos, que vive em Brasiléia, município distante 232 quilômetros da Capital Rio Branco, não aguentou a espera e desistiu de passar por uma cirurgia uterina no Hospital das Clínicas de Rio Branco. A história dela foi retratada pelo ac24horas em março, quando ela completou dois anos que sofria com uma hemorragia.


Quando avaliada pelo médico, o profissional atestou que não havia urgência para a realização do procedimento que Maria das Graças buscava. “Olha, desde lá que eu espero essa cirurgia, e nada até agora. Tenho hemorragias, e isso chega a durar até vinte e cinco, vinte e seis dias”, contou ela na época em que procurou o ac24horas. A mulher precisava fazer uma histerectomia.
Agora, três meses após a reportagem ir ao ar, Maria surpreende e contra que precisou vender praticamente tudo o que tinha para fazer a cirurgia na Bolívia. Com a ajuda de vizinhos, amigos e familiares, a mulher fez uma consulta e descobriu que já estava desenvolvendo um câncer devido à espera pela cirurgia no hospital público do Acre.
“Minha cirurgia foi muito delicada e foi descoberta uma bolsa de água entre os órgãos.
Tinha também uma pequena ferida. Lá em Rio Branco o médico disse que ia tirar apenas o útero, mas quando descobri os cistos precisei tirar tudo. Os órgãos estavam grudados um no outro. Foram oito horas de cirurgia. Agora estou curada”, relata a mulher.

Maria das Graças comentou que após a repercussão da denúncia do ac24horas foi procurada pela Secretaria de Saúde do Acre e informada que faria a cirurgia no fim de junho. Mesmo assim, preferiu não esperar, principalmente após saber que estava desenvolvendo um câncer. Ainda em março, o Hospital das Clínicas, questionado pelo site, não informou data para o procedimento.