Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Postos de combustíveis do Acre devem manter estoque para possível desabastecimento

O nível do Rio Madeira, devido a seca, fica mais crítico a cada dia e, por conta dos bancos de areia, a navegação fica comprometida e a quantidade de mercadorias começou a ser reduzida para transporte pelo rio.
Em reportagem a um Telejonal de Rondônia, o presidente da Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária (Fenavega), Raimundo Cavalcante disse que vários produtos são transportados pelo Rio Madeira para abastecer Rondônia, noroeste de Mato Grosso e Acre, mas que quantidade de carga está sendo reduzida para a travessia.
Segundo ele, são transportados pelo rio, em média, três bilhões de litros de derivados de petróleo, por viagem são nove milhões de litros. Com a seca do rio, essa quantidade baixou para três milhões de litros/viagem. De 40 mil toneladas de soja, os comboios transportam agora 17 mil toneladas por viagem. Porém, ele não falou se há a possibilidade de faltar combustíveis e outras mercadorias para o Estado devido a dificuldade para a navegação.
A solução para ajudar na navegação durante o período de seca seria retirar os sedimentos do fundo do rio, o conhecido por dragagem, em cerca de mil quilômetros, porém, o presidente disse que a licitação atrasou e a empresa ganhadora foi desqualificada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).
A expectativa é que a segunda empresa comece os serviços em setembro, mas para Raimundo Cavalcante passou da hora de o serviço ser realizado já que deveria ter ocorrido no início da seca.
O presidente do Sindicato dos Postos de Combustíveis do Acre (Sindepac), Delano Lima, informou que o abastecimento de combustíveis no Estado está dentro da normalidade e não há registro nem de atraso. Porém, segundo ele, o sindicato tem pedido aos donos de postos que mantenham estoque em capacidade máxima para um possível atraso do produto já que a situação é crítica no rio Madeira e as balsas correm o risco de encalhar.