Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Mulher barraqueira merece, SIM, umas bordoadas, diz jornalista após agredir diretora do Sinteac

Após ser preso na tarde de ontem, terça-feira (12) por agredir com um soco no olho a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (SINTEAC), Márcia de Souza Lima, o jornalista, Assem Neto, de 46 anos, usou as redes sociais para se justificar, alegando ter tido a mãe desrespeitada pela educadora e não demonstrou nenhum arrependimento do crime cometido.

“Mulher barraqueira merece, SIM, umas bordoadas, principalmente quando não sabe ser rejeitada e ainda chama tua mãe de puta. Cultura vem de berço. Quando o bagaço se diz educadora, pior ainda. A Lei Maria da Penha pune sem observar causas e consequências. Ainda terei o prazer de ler a Lei de Proteção aos Direitos do Homem", disse em sua rede social, o Fcebook, Assem Neto.



O crime foi registrado logo após o ocorrido na Delegacia de Flagrantes, pela própria educadora. Segundo testemunhas, tudo teria começado quando ela teria ido questionar com ele sobre um texto que ele havia publicado a respeito do sindicato em seu site de notícias. Houve uma discussão e em seguida, Assem partiu para as agressões, deixando a diretora com o olho esquerdo roxo, bastante machucado.

“Eu só entrei na sala e perguntei sobre a matéria, nunca imaginei que por conta disso eu iria ser agredida, vejo muitos casos de professores agredidos em sala de aula e até em casa, mas não imaginei que iria acontecer comigo, ainda mais desse jeito”, desabafou a vítima, Maria de Souza.

Assem é funcionário do sindicato e foi preso por policiais militares do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva (Giro) pelo crime de lesão corporal dolosa e entregue na Delegacia de Flagrantes (DEFLA) não demorou muito, e o jornalista já estava rebatendo as críticas dos internautas através das redes sociais.