Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Pré-candidatos da FPA, oposicionistas e parente de Sebastião Viana são apontados como ficha suja pelo TCU

A lista de gestores que tiveram julgadas irregulares suas contas públicas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) poderá levar por terra as pretensões de pré-candidatos da Frente Popular do Acre (FPA) e do bloco de oposição que sonhavam administrar cidades do interior.
Os nomes de 102 acrianos envolvidos em atos de improbidade administrativa incluem ex-prefeitos, ex-secretários, diretores de instituições públicas e até um parente do governador Sebastião Viana (PT), seu xará e primo, Sebastião Wille Lopes das Neves.
Entre os celebres acrianos da lista do TCU, alguns são considerados como velhas raposas da política do Estado. Aldemir Lopes, Alércio Dias, Aluízio Bezerra, Vando Torquato e Francisco Liberato, figuram em mais de uma ocorrência na lista divulgada pelo TSE.
Os Pré-candidatos da Frente Popular ocupam lugar privilegiado na publicação. Michel Marques (PT), Francimar Fernandes (PT), Itamar de Sá (PT), Neuzari Pinheiro (PT) e um pré-candidato que na teoria seria de oposição, mas milita na situação, Francisco Deda (PP).
Prosseguindo a lista de petistas enrolados com contas públicas, tem ainda, o ex-prefeito de Santa Rosa, Jose Altamir Sá, Joais da Silva e o engenheiro e ex-diretor do Deracre, Sérgio Nakamura, que responde por supostos superfaturamentos em obras do Estado.
A lista do TCU não formada exclusivamente de políticos. A desembargadora aposentada, Miracele de Souza Lopes Borges, o ex-presidente da Fieac, Jorge Tomás, o sindicalista e engenheiro Tião Fonseca e o ecologista Osmarino Amâncio também aparecem.
O pecuarista Assuero Veronez, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Acre (FAEAC) e o Pró-reitor de Administração da Ufac, Francisco Antônio Saraiva de Farias foram listados como prestadores de contas consideradas irregulares.
A grande maioria das pessoas apresentadas na lista dos “fichas suja” teria alguma ligação com as administrações petistas do Acre. O ex-aliado dos irmãos Viana e atual oposicionista de carteirinha, José Bestene, é um dos ex-escudeiros da FPA acusado de irregularidade.
Do outro lado do tabuleiro político, como menos destaque aparece o ex-prefeito Maurí Sérgio (PMDB), o ex-prefeito de Porto Acre, Ruy Coelho (PSDB). A lista do TCU é eclética incluindo os donos de construtoras que prestam serviços ao Governo do Acre.
O empresário Francisco José  de Oliveira, de uma das construtoras licitadas para a obra da BR-364 – também está na listagem do TCU. Um relatório divulgado no ano de 2010, aponta superfaturamento em trechos da execução das obras da estrada que corta o Estado.
Os gestores das administrações de municípios do interior do Acre são atores constantes na lista dos “fichas suja”. Ex-secretários e atuais secretários das administrações da Frente Popular são acusados pelo TCU por diversos tipos de irregularidades em contas públicas.
O material divulgado pelo TSE com anuência do TCU provocou à correria de postulantes as cadeiras de prefeito e vereador, nos 22 municípios do Acre. A maioria dos listados apostavam todas as fichas nas eleições deste ano, para voltar a ocupar um cargo público novamente.Alguns grupos políticos terão que refazer seus planos nos próximos 10 dias, para indicarem substitutos que possam disputar as eleições municipais.
 A contagem regressiva para os acertos e remendos começou após a lista do TCU ser divulgada na rede mundial de computadores.