Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Eleições 2016: oposição cria “carta princípio” para definir candidatura única nos municípios acreanos

A oposição definiu por meio de uma “carta princípio” parte dos critérios que definirão quem será candidato a prefeito em todos os municípios do Acre, em caso de candidatura única. Sob a coordenação do senador Sérgio Petecão (PSD), o encontro desta segunda-feira, 27, contou com a participação de dirigentes de oito partidos: PMDB, PSD, PP, PSDB, DEM, PMN, PPS e PTB, que assinaram o documento.
O encontro das oposições, apesar da expedição de uma carta, não fechou nenhuma porta, disse agora há pouco o senador Petecão. Animado com a possibilidade de candidatura única em maioria dos municípios, ele assina a carta que fala em “construir as bases de uma consistente aliança”. Só tem um item que é questão fechada no bojo da decisão: jamais se coligar com PT e PCdoB, as duas siglas que levaram o país e o Acre ao colapso.
Na reunião desta segunda-feira, além da carta, foi feita uma recepção a mais nova sigla da oposição, o PTB, cuja militância histórica se perdia como apagado coadjuvante na Frente Popular. “Não apenas o PTB, mas outras siglas serão bem vindas a nossa coligação. Aqui não tem porta fechada para ninguém”, diz o senador Petecão, que lidera a cruzada em busca de candidaturas únicas.
O próximo encontro das oposições acontecerá no próximo sábado, dia 2 de julho, em Rio Branco. Maioria dos partidos já confirmou presença. Membro efetivo da comissão criada para discutir alianças, o ex-deputado João Correia (PMDB) prevê o fechamento de um compromisso geral com muito otimismo. “As coisas caminham para uma aliança histórica entre partidos de oposição”, diz Correia.
Com maioria dos partidos coligados a oposição julga que elegerá maioria dos prefeitos, inclusive o da capital, por uma razão elementar: o anseio da sociedade por mudança. “Não basta apresentar nome novo, tem que apresentar plataforma nova de política pública, porque o modelo das últimas décadas já foi rejeitado faz tempo”, afirma o senador Petecão, cujo sonho dos últimos meses tem sido a junção das siglas em torno da causa única: ganhar as eleições em maioria dos municípios do Acre.