Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Servidor da Sehab, preso por vender casas populares, é solto pela Justiça

Indiciado pela Polícia Civil (PC) como integrante de uma quadrilha que fez da Secretaria de Estado de Habitação e Interesse Social (Sehab) um verdadeiro “balcão de negócios”,  Marcos Henrique Huck, preso no fim de abril, já foi liberado da prisão.

Informações apuradas exclusivamente pelo ac24horas dão conta que Huck foi liberado ainda na segunda-feira, 09. Os colegas de trabalho dele, também membros da quadrilha que comercializava casas populares que deveriam ser dadas, gratuitamente, a pessoas pobres, Daniel Gomes e Cícera Dantas, continuam presas no complexo penitenciário da Capital.

Os advogados de Cícera, na semana passada, ingressaram com um pedido de relaxamento da prisão, mas o Tribunal de Justiça negou o recurso e manteve a detenção preventiva da ex-servidora terceirizada da Sehab. Ela é uma das delatoras do esquema, ou seja, fez as revelações à polícia.

ACUSAÇÕES
As investigações da “Operação Lares” apontam que Marcos Huck e Daniel Gomes, ex-diretor executivo da Habitação, tornaram o órgão numa verdadeira imobiliária. Os dois tentaram apagar documentos que estavam em computadores de comparsas, o que foi descoberto pela polícia.

Também segundo a PC, Daniel deu casa para a mãe de um filho e também para uma amante. Já Huck, no mesmo sentido, desvio beneficiários e deu uma residência recém construída para a babá de uma das filhas. Ambos são denunciados por corrupção ativa.

As casas eram vendidas a preços que chegam à casa dos R$ 30 mil. O que também chama atenção é que a dupla escolhia onde seriam as casas, que, por exemplo, podiam ser de esquina, com um terreno mais amplo.

A OPERAÇÃO

Com fases que ocorrem desde fevereiro passado, a Operação Lares, da Polícia Civil (PC), continua é um dos assuntos mais comentados nos corredores do Palácio Rio Branco, e das secretarias de Estado. A ação culminou na prisão de dois chefes departamentais da Secretaria de Habitação e Interesse Social (SEHAB).


O governo do Acre, por meio das secretarias de Segurança Pública e Polícia Civil, emitiu nota oficial em que destaca que a ação da PC, na terça, mostra a isenção com que as forças de investigação trabalham em todo o estado, no combate à corrupção. Isso seria, na verdade, um comando do governador Sebastião Viana.