Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Policiais civis monitoram se moradores ilegais desocuparam das residências, em Rio Branco

A Polícia Civil vem monitorando se os moradores, identificados como beneficiários do esquema de venda e direcionamento de casas populares, desocuparam os imóveis. Nesta segunda-feira (16), policiais voltaram ao local para fiscalizar se os moradores cumpriram a determinação da Justiça.

A fiscalização de hoje foi feita nos conjuntos habitacionais Rui Lino III e Cabriúva. O morador que não cumprir a medida poderá ser preso mediante ordem judicial de prisão preventiva.

A ação faz parte da terceira fase da “Operação Lares”, deflagrada na última quinta-feira (12) onde a polícia cumpriu 37 mandados de condução coercitiva e outras 37 de medidas cautelares que pediam o afastamento dos imóveis em um prazo de 48 horas.

De acordo como Delegado Roberth Alencar, responsável pela “Operação Lares”, das 37 casas a qual foi entregue a medida cautelar, apenas uma ainda não cumpriu.

Caso seja constato a subtração de algum objeto das casas, os moradores poderão responder pelo crime de furto ou dano ao patrimônio público.


A “Operação Lares” é feita de forma conjunta com o Ministério Público do Acre (MP-AC) e tem como objetivo desmontar um esquema de fraudes que estaria sendo realizado por um grupo de servidores da Secretaria de Habitação (SEHAB) que diante do pagamento de valores entre 5 à 30 mil prometiam facilitação da entrega de casas populares. Cerca de 40 casas foram vendidas e 60 direcionadas.