Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Ladrão, ladrão, ladrão… – Gritam os sem teto para recepcionar Jamyl Asfury no seu retorno a Aleac

O ex-secretário de habitação e interesse social, Jamyl Asfury (PDT), talvez não esperasse que seu primeiro dia de trabalho após assumir a cadeira deixada pelo deputado afastado Lourival Marques (PT) pudesse ser tão tumultuado. Com as galerias lotadas de famílias retiradas de áreas de risco e posteriormente despejadas por atraso no pagamento de aluguel social, professores que cobram suposto calote do governo e manifestantes que pedem investigação das mortes de bebês na Maternidade Bárbara Hliodora, Asfury foi recebido sob o alarido das vaias ladrão, ladrão, ladrão, quando ele iniciou o seu discurso na tribuna da Aleac, na manhã desta terça-feira (31) na Assembleia Legislativa.
“Eu não tive a oportunidade na semana passada de agradecer algumas pessoas pelo nosso retorno a Aleac. Agradecer a Deus pela oportunidade, agradecer a minha família, a pastora Sandra Asfury, a mulher da minha vida. Os nossos pastores que fazem parte da nossa caminhada. Que esse mandato possa de alguma forma contribuir para o nosso Estado. Agradecer a oportunidade que o governador Tião Viana nos deu à frente de uma secretaria tão importante que é a Secretaria de Habitação”, pontua o parlamentar.
O discurso do deputado foi acompanhado insistentemente com vaias e gritos que partiam das galerias, de pessoas revoltadas com o escândalo da venda de casas na Secretaria de Habitação. Mesmo com o barulho dos manifestantes, Jamyl Asfury cumprimentou, ainda, o presidente da Aleac, deputado Ney Amorim (PT). Falou da satisfação em ver o petista ocupando o maior cargo do parlamento acreano e desejou longevidade a Ney Amorim na presidência. “Quero deixar bem claro da satisfação de vê-lo presidente da Aleac. Vossa excelência está fazendo um belíssimo trabalho. Quero vê-lo presidente da Aleac pelo menos esses quatro anos. Eu tenho visto o seu trabalho”, argumenta.
Demonstrando desconforto com as vaias dos manifestantes, Asfury se colocou à disposição para dar todos os esclarecimentos referente à comercialização de casas do Programa Minha Casa Minha. Disse, ainda, que está à disposição para colaborar com as comissões permanentes da Aleac. “Eu me sinto na responsabilidade de dar todos os esclarecimentos possíveis para a sociedade. Creio que poderemos colaborar muito nesse debate”, pontua.
Ray Melo, da editoria de política do ac24horas