Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Laboratório Labsul, em Cruzeiro do Sul, começa a diagnosticar casos de zika vírus

Desde a semana passada, O Labsul Diagnóstico, sediado no município de Cruzeiro do Sul, é o primeiro laboratório acreano a estar apto para diagnosticar infecções por zika vírus.
A informação é do responsável técnico e proprietário da empresa, Luiz Augusto Batista.
Aproximadamente de cinco a 10 dias após os sintomas, já é possível a realização dos exames de sangue e pesquisa de anticorpos.
De acordo com Batista, os sinais de infecção pelo zika vírus são parecidos com os sintomas da dengue, chikungunya ou até uma gripe forte e começam de três a 12 dias após a picada do mosquito.
 “Os principais sintomas de zika vírus são febre baixa, dores nas articulações, principalmente nas mãos e pés, dores musculares, dor de cabeça e atrás dos olhos, erupções cutâneas acompanhadas de coceira e conjuntivite”, enumerou ele.
O ciclo de transmissão ocorre após a fêmea do mosquito depositar seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas.
O aedes aegypti procria rapidamente e o mosquito adulto vive em média 45 dias. Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de 3 a 12 dias para o zika vírus causar sintomas.
“A principal suspeita é que a zika esteja causando microcefalia porque já foram encontrados vírus no líquido amniótico que envolve o bebê durante a gravidez e também no líquido cefalorraquidiano, presente no sistema nervoso central dos bebês que já nasceram e foram diagnosticados com microcefalia”, explicou Batista, acrescentando que a relação entre a zika e a microcefalia não é totalmente conhecida.
Ainda segundo ele, o Labsul Diagnóstico já possuía a tecnologia e apenas importará insumos do Canadá e Estados Unidos. Os resultados dos exames são liberados entre 24 e 48 horas e custam de R$ 460 a 530, enquanto em São Paulo o custo médio destes exames é de R$ 900.
“Estarmos praticando somente os custos operacionais e contábeis de impostos. Temos a preocupação de cuidar efetivamente da nossa população, e não pensamos em lucros neste momento tão delicado de quase uma epidemia”, ressaltou Batista.(Por JORGE NATAL, PARA A CONTILNET)