Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Em palestra do ITV no Acre, professor da UNB ‘ensina’ pré-candidatos da oposição a enfrentar o PT

O Instituto Teotônio Vilela, presidido no Acre pelo ex-deputado federal Márcio Bittar, reuniu na noite de sexta-feira (27) pré-candidatos do PSDB e aliados da oposição, no auditório da Federação da Agricultura, para assistirem uma palestra ministrada pelo professor Carlos Henrique, da Universidade de Brasília (Unb).
O objetivo da palestra, segundo Bittar, foi de oferecer às lideranças políticas e a outras pessoas, a oportunidade de uma reflexão sobre o cenário político do país nos últimos anos e auxiliar os pré-candidatos na criação de uma estratégia política para as próximas eleições municipais.
CARLOS HENRIQUE
Professor Carlos Henrique, da Universidade de Brasília (Unb)
O evento, que contou com a participação de vários pré-candidatos a vereador ao redor de todo o estado, também teve a presença dos pré-candidatos a prefeito da capital, Francineudo Costa (PSDB), Tião Bocalom (DEM) e a deputada estadual Eliane Sinhasique (PMDB), assim como de lideranças políticas da oposição regional.
O presidente do ITV, Márcio Bittar, que chegou ao evento acompanhado de sua esposa Marcia e do filho João Paulo Bittar, pré-candidato a vereador pelo PSDB, deu início ao evento saudando a todas as lideranças partidárias ali presentes, e deixando claro que as “estrelas” da noite eram os pré-candidatos, e que o foco principal da palestra girava em torno da preparação dos futuros parlamentares. Após agradecer a presença de todos, e chamar Francineudo Costa ao palco, para também saudar a presença dos correligionários do PSDB, Márcio, então, passou a palavra ao palestrante da noite, o professor Carlos Henrique.
O professor iniciou sua apresentação reforçando a importância de conhecer a finco a história e as falhas cometidas pelo Partido dos Trabalhadores, desde sua criação até os dias de hoje. Dito isso, Carlos explicou de forma detalhada, que tipo de manobras e atitudes políticas seriam responsáveis pelo sucesso do PT, nas últimas quatro eleições federais. A segregação de minorias, criação de ídolos, influência na igreja e projetos mirabolantes de governo, fizeram parte da extensa lista apresentada pelo professor. Quando questionado sobre o porquê de utilizar a história de um partido opositor ao PSDB para construção de uma estratégia política, o professor ressaltou que toda e qualquer tipo de estratégia necessita ser baseada na história, e que é essencial entender como funciona e o que foi feito durante as gestões do PT, para, a partir de tal entendimento, traçar caminhos para o enfrentamento político.
palestra andidatos
A historiadora Marcia Bittar e os pré-candidatos da oposição, Bocalon, Francineudo e Sinhasique participaram da palestra do ITV
“São reflexões sobre a história de ascensão e queda de um partido político que foi muito bem-sucedido para alcançar o poder. Estratégias não podem ser artificiais, precisam ser extraídas da história, a partir disso eu cito aspectos centrais para que a oposição vença as eleições”, disse.
Ao fim da fala feita pelo professor, o presidente do ITV abriu o plenário para que os convidados pudessem levantar questionamentos e tirar suas dúvidas. A maioria das perguntas girava em torno do que é necessário para obter sucesso nas próximas eleições, e assim tirar o PT do poder. Muitos dos convidados ainda citaram a falta de credibilidade do sistema eletrônico de votação, sugerindo que um sistema não auditável não transmite confiança na divulgação dos resultados, e que um sistema de votos impressos seria mais coerente.
O professor respondeu as perguntas dizendo que não existe uma receita de como se ganhar uma eleição, mas que o momento é propício para o surgimento de novas lideranças, da retomada do diálogo com as comunidades e de posicionamentos seguidos de atitude, já que de acordo com ele o PT não deve aceitar tranquilamente sua saída do poder. Já em relação ao sistema de votação eletrônico, o professor ressaltou que não entende a não utilização do voto impresso, já que grandes potências mundiais fazem uso do modelo.
PALESTRA ITTAR
Bittar: “O enfrentamento ao PT tem sido feito sem o total entendimento do adversário”
Enfrentamento sem entendimento
Márcio Bittar aproveitou para reforçar a importância do entendimento sobre o adversário, citando que o enfrentamento às cegas contra o PT é ineficiente, tanto na esfera federal como na estadual.
“Eu acho que no Brasil inteiro, no Acre não é diferente, o enfrentamento ao PT tem sido feito sem o total entendimento do adversário. Hoje a palestra, desnuda quem é verdadeiramente o PT, quais suas estratégias, o que eles fazem pra chegar ao poder, o que fazem para continuar no poder, e como nós podemos apresentar um programa que não só aponte o que eles representam, mas como também o que nós queremos representar”, afirmou.