Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Cenário político nacional deve ser agitado essa semana; Dilma Rousseff pode ser afastada

Uma semana que promete ficar marcada na história da política brasileira. Nos próximos dias, o Senado Federal vai discutir e decidir sobre duas propostas polêmicas: a análise da admissibilidade do impeachment da presidenta Dilma Rousseff – que, se for aceita, implicará no afastamento imediato dela do cargo – e da cassação do mandato do senador Delcídio do Amaral, do Mato Grosso do Sul, que está sem partido.

Mas nem tudo trata essencialmente de política. Em ano de Olimpíadas, que ocorrem no Brasil em agosto, os senadores devem apreciar relatório final da comissão parlamentar de inquérito que investiga denúncias contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O documentos foi produzido pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), o que deve pôr fim às discussões da comissão.

Sobre a admissibilidade do processo que pode afastar Dilma Rousseff, a expectativa entre os senadores é que o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), faça a leitura do resultado ao plenário já nesta segunda-feira, 09. A partir disso, começará a contar o prazo de 48 horas para que a votação do parecer pela admissibilidade do impedimento da chefe do Executivo federal. Se aprovado, o vice-presidente Michel Temer assume o posto interinamente.


A consultoria legislativa do Senado já prepara um projeto de resolução que conterá os direitos que Dilma Rousseff terá se for instaurado o processo de impeachment da presidente. Segundo apurou o G1, em Brasília, o pedido partiu do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). Oficialmente, a assessoria de imprensa da Casa nega que a consultoria legislativa tenha recebido a demanda do presidente do Senado ou de algum outro senador.