Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Adolescente pode ter matado professora para ser aceito em facção criminosa, diz polícia

A Polícia Civil informou em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (3), que a morte da professora Franciane Piva, que ocorreu em novembro do ano passado, pode estar relacionada a um ritual de iniciação a uma facção criminosa do Acre.
A coletiva aconteceu na sede da Polícia Civil e, de acordo com o secretário Flávio Portela, três pessoas já foram detidas, suspeitas de envolvimento na morte da educadora. Entre os suspeitos encontram-se um adolescente de 15 anos e Douglas da Silva Rabelo, de 25 anos.
“A hipótese de latrocínio foi descartada dois dias após o crime e a questão passional praticamente nulo”, disse Flávio.
Segundo as investigações, o assassinato de Franciane seria a porta de entrada do menor à facção criminosa “Bonde dos 13”. Um terceiro suspeito que também encontra-se detido, mas não teve o nome divulgado, é acusado de coagir testemunhas para que estas não venham a prestar depoimento. Tanto o adolescente quanto Douglas, devem responder pelo crime de homicídio qualificado.
Entenda o caso
Franciane foi morta a tiros no dia 20 de novembro do ano de 2015, na rua José Luiz do bairro Santa Inês. A professora ia ao encontro do filho após participar de uma reunião de professores, quando então segundo testemunhas, dois homens em uma moto aproximaram-se da vítima e o passageiro efetuou os disparos, logo em seguida fugiram em disparada.