Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Manifestantes pró e contra Lula se encontram no centro e por pouco não entram em confronto

O ato político marcado por manifestantes contra o governo Dilma e que apoiam a Operação Lava Jato, marcado para às 17 horas desta quinta-feira (17), por pouco não terminou em enfrentamento físico com a militância do movimento em favor do PT e presidente Dilma.
O espaço do evento, pré-agendado pela oposição há mais de uma semana, também foi reivindicado pelas lideranças do PT, que protocolaram um ofício junto à Casa Civil requisitando a frente do Palácio Rio Branco para um evento pró-Dima e Lula. A polícia conversou com lideranças dos dois movimentos e apaziguou os ânimos.
Para os líderes do movimento contra Lula, os petistas usaram de má fé ao solicitar o espaço no mesmo dia em que eles já haviam reservado.
“Nós já tínhamos solicitado antes, chegamos a protocolar ofício na Polícia Militar e Companhia de Trânsito enquanto eles aparecem aqui, de última hora, com esse documento assinado apenas pela chefe da Casa Civil, Márcia Regina”, afirmou o professor Rondiney Dourado, um dos organizadores do evento.
O presidente da Juventude do PMDB, Frank Vidal, foi outro que criticou os petistas e os acusou de procurar confusão para atrapalhar as atividades programadas pelo Movimento Brasil Livre.
Um dos líderes da juventude do PT, Cezário Braga, afirmou que agiram dentro da legalidade e que reservaram o espaço por dois dias.
Vale ressaltar que o presidente regional do PT, Ermício Sena, havia afirmado a ContilNet durante a manhã desta quinta-feira que a manifestação petista seria realizada na sexta-feira (18), mas que ocupariam o espaço um dia antes.
“Já havíamos definido que nossa militância iria ocupar o Palácio Rio Branco a partir de hoje. A oposição é que tá buscando esse tipo de enfrentamento, não fizemos atos na véspera do deles no domingo, exatamente para evitar confrontos das militâncias”, afirmou.