Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Iapen sabe que presos de facções criminosas rivais compartilham pavilhão na Penal, denuncia agente

Um agente penitenciário, que pediu para não ter o seu nome identificado, relevou à ContiNet que presos de fações criminosas rivais estão compartilhando os mesmos pavilhões nos presídios do Acre. A denúncia veio à tona depois que detentos do pavilhão L, do complexo penitenciário Francisco de Oliveira Conde, iniciaram um princípio de rebelião na tarde do último domingo (28), que culminou com um presidiário ferido por uma arma branca.

De acordo o agente, a confusão teve início às 16 horas, após o término das visitas, quando começou a contagem e consequente retorno dos presos às celas de origem. “Ouviu-se um tumulto generalizado no pavilhão L, onde detentos das facções das facções criminosas rivais, Comando Vermelho e Bonde dos 13, estavam guerra”, declarou ele, afirmando que, com a anuência da direção do presídio, os presos são mantidos nos mesmo local.

Em sua opinião, só não houve uma “banho de sangue” porque as celas 1, 2,3 1 e 6 estavam trancadas. “Cerca de 100 integrantes do Bonde dos 13 iria trucidar os 20 presos do Comando Vermelho que felizmente estavam trancados. Chamamos reforços e, com armas não letais, conseguimos debelar a confusão”, disse o agente, informando que foram apreendidos facões, estoques, paus, pedras e ate uma marreta.

Segundo o policial militar, capitão da Albuquerque, o tumulto logo foi controlado pelos próprios agentes penitenciários que estavam de plantão. Mas para reforçar a segurança no local, foram enviados homens do Batalhão de Operações Especiais, que realizaram processo minucioso de revista nas celas.

De acordo com um dos diretores do Instituto de Administração Penitenciária do Acre, Rames Mesquita, o incidente do domingo foi um caso isolado e que a inteligência do instituto está investigando e identificando os presos. “Não temos como saber quem é quem. Mas incidentes daquela natureza não são rotineiros”, assegurou ele.