Geral

[Geral][bleft]

Política

[Política][bsummary]

Processo seletivo UNIP-Acrelândia

Processo seletivo UNIP-Acrelândia
,

Polícia

[Polícia][bleft]

Publicidade

Viaturas policiais de Sena Madureira estão inutilizáveis e prejudicam ações da contra o crime

O setor de Segurança Pública no município de Sena Madureira (AC), distante 140 quilômetros da capital Rio Branco, não está nada bem. Uma denúncia, feita pelo deputado estadual Gerlen Diniz (PP), tornou pública a inutilização de veículos oficiais da polícia que deveriam estar nas ruas, em combate à criminalidade, mas estão estacionados dentro do batalhão da Polícia Militar (PM), quebradas.

A denúncia dá conta que um total de 10 viaturas, entre elas motocicletas e caminhonetes estão quebradas e sem combustível. O município, com mais de 40 habitantes, tem passado inclusive por momentos de tensão devido à alto índice de criminalidade, o que deixa os policiais ainda mais preocupados com a falta de estrutura para a prestação dos serviços.

As imagens, registradas pelo deputado, mostra veículos novos, inclusive com os novos modelos de logomarcas utilizados pelo Sistema de Segurança Pública do Acre. “Estavam rodando apenas com um [veículo] Gol, Paraty, e duas motos, para todos os habitantes da cidade. Conversei com os militares e muitos estão revoltados com essa situação”, conta o deputado Diniz.

Ainda segundo o parlamentar, a situação fica ainda mais complicada porque o batalhão de Sena Madureira já não é mais coordenado pela Polícia Militar de Rio Branco, mas por Cruzeiro do Sul, que fica distante dali mais de 500 quilômetros. “Se de Rio Branco, que que é até perto, está difícil, você imagina de Cruzeiro. Simplesmente o pessoal quer trabalhar, mas não tem como”, destaca Gerlen.
Antonio Ribeiro, de 43 anos, morador da cidade, conta que os atendimentos de ocorrências acabam demorando devido à falta de veículos. “Uma vez teve uma confusão aqui na rua, aí chamamos a polícia, só que demorou muito para chegar, porque eles estavam em outra ocorrência. Aqui a gente fica à mercê dos bandidos. É um descaso só. O pessoal aí até tenta fazer alguma coisa, mas não dão condições, aí complica”, acredita.


O que o morador classifica como “descaso”, para a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP), é uma situação pontual que será resolvida tão logo o exercício financeiro deste ano for aberto, o que deve ocorrer no fim do mês de janeiro. “Todas essas demandas referentes à manutenção e reparos de viaturas e motocicletas já estão autorizadas a serem resolvidas”, diz o órgão.